image

Viver e Morar no Rio de Janeiro RJ

Viver e Morar no Rio de Janeiro RJ

Compartilhar

Morar no Rio de Janeiro é uma experiência extraordinária. A cidade está localizada no Estado de mesmo nome, Rio de Janeiro, e os habitantes se chamam cariocas.

O município se estende por 1.200,3 km² e contava com 6.748.000 habitantes no último censo de 2020. A densidade demográfica é de aproximadamente 5.600 habitantes por km² no território do município.

O relevo do estado é composto por planaltos e planícies, e o clima é predominantemente tropical. As belas paisagens naturais e a rica cultura fluminense fazem do estado um dos principais destinos turísticos no país.

O Rio de Janeiro, também conhecido por Rio, é rico em belezas naturais e em tradições culturais. No Rio se originou o samba e é onde acontece uma das maiores celebrações do Carnaval.

Viver no Rio de Janeiro é sonho de muita gente. A Cidade Maravilhosa é exuberante, com esplêndidas praias e repleta de passeios. O estilo de vida dos cariocas é único, curtindo as atrações culturais bem como a natureza, além de ser maior destino internacional e possuir o segundo maior PIB do País.

Um dos principais pontos turísticos do país, pois além das praias, entre elas: Copacabana, Leblon e Ipanema, há também o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor, que recebe milhares de turistas todos os anos. E também não podemos esquecer todo o patrimônio histórico deixado pela permanência da Corte portuguesa no Brasil, como a Biblioteca Nacional, o Teatro Municipal e diversos museus. Sua belíssima região costeira é chamada de Costa do Sol, e nela está a cidade de Búzios, famosa por ser queridinha da atriz francesa Brigitte Bardot.

Conhecida como cidade maravilhosa, o Rio recebeu em 2016, da Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - o certificado de Patrimônio Mundial por sua Paisagem Cultural. Estão incluídos na paisagem as montanhas do Corcovado, com estátua do Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, o Jardim Botânico, a Praia de Copacabana, o Aterro do Flamengo e a entrada da Baía de Guanabara.

Índice do Conteúdo

Onde fica

Vizinho dos municípios de Niterói, Maricá e Duque de Caxias.

Situado a 20 metros de altitude, de Rio de Janeiro tem as seguintes coordenadas geográficas: Latitude: 22° 54' 13'' Sul, Longitude: 43° 12' 35'' Oeste.

Voltar para o índice

Como chegar

Há dois aeroportos: o Santos Dumont, na região central, e o Internacional Antônio Carlos Jobim (ou Galeão), na Ilha do Governador, a 20 km do Centro. A partir do Galeão, a corrida de táxi até Copacabana custa, em média, R$ 65. Ônibus climatizados (conhecidos como “frescão”) ligam, a cada 30 minutos, o aeroporto ao Centro, à Zona Sul e à Barra da Tijuca por R$ 13,50. Os ônibus interestaduais chegam no Terminal Rodoviário Novo Rio, próximo à zona portuária e ao Centro. De carro, as principais vias de acesso são a BR-101 (para quem chega do Nordeste), a BR-040 (de Belo Horizonte) e a BR-116 (Via Dutra), para quem vem de São Paulo.

Fonte: Viagem e Turismo

Voltar para o índice

Vídeo

Voltar para o índice

História

A cidade é mencionada oficialmente pela primeira vez quando a segunda expedição exploratória portuguesa, comandada por Gaspar lemos, chegou em janeiro de 1502, à baía, que o navegador supôs, compreensivelmente, ser a foz de um rio, por conseguinte, dando o nome à região do Rio de Janeiro. Porém só em 1530 a corte portuguesa mandou uma expedição para colonizar a área, em vez de continuar usando-a simplesmente como uma parada em suas aventuras marítimas. Os franceses, por outro lado, tinham estado no Rio de Janeiro e arredores desde o começo do século e estavam dispostos a lutar pelo domínio da região. Em 1560, depois de uma série de escaramuças, os portugueses expulsaram os franceses.

O começo da cidade como tal foi no Morro de São Januário, mais tarde conhecido como Morro do Castelo, e depois na Praça Quinze até hoje centro vital do Rio.

O Rio de Janeiro desenvolveu-se graças à sua vocação natural como porto. Na mesma época em que ouro foi descoberto no Estado de Minas Gerais, no final do século XVII, o Governador do Brasil foi feito Vice-rei. Salvador era capital da colônia, mas a importância crescente do porto do Rio garantiu a transferência da sede do poder para o sul, para a cidade que se tornaria, e ainda é, o centro intelectual e cultural do país.

Em 1808 a família real portuguesa veio para o Rio de Janeiro, refúgio escolhido diante da ameaça de invasão napoleônica. Quando a família real voltou para Portugal e a independência do Brasil foi declarada em 1822, as minas de ouro já haviam sido exauridas e dado lugar a uma outra riqueza: o café.
O crescimento continuou durante quase todo o século XIX, inicialmente na direção norte, para São Cristóvão e Tijuca, e depois na direção da zona sul, passando pela Glória, pelo Flamengo e por Botafogo. Em 1889, a capital do Império assistiu à queda da monarquia. As mudanças políticas seguiram as diretrizes capitalistas. A transição da Monarquia para a República começa em 1889 e só acaba, efetivamente, em 1930. A cidade, com a Proclamação da República, torna-se a capital federal.

No começo do século XX surgiram as ruas largas e construções imponentes, a maioria no estilo francês fin-de-siècle. O Rio de Janeiro manteve sua posição até a inauguração de Brasília como capital da república em 1960. Capital do Estado do Rio de Janeiro, a cidade continua sendo o centro social e cultural do país.

Fonte: Prefeitura do Rio

Voltar para o índice

Economia do Estado do Rio de Janeiro

O estado do Rio de Janeiro é o segundo maior em geração de riquezas do Brasil. Sua economia está alicerçada na produção de petróleo, sendo o principal produto de exportação do estado. No setor primário, a extração de petróleo é o principal destaque, sendo que também há uma importante área de agricultura na Região Serrana e de exploração de sal na Região dos Lagos.

Com relação ao setor secundário, o estado é muito industrializado e conta com várias indústrias de destaque nacional, em especial na região sul fluminense, em cidades como Volta Redonda e Resende. As principais indústrias do Rio de Janeiro são petrolífera, siderúrgica, metalúrgica, automobilística, química, farmacêutica e alimentícia.

O setor terciário tem como principal gerador de riquezas o ramo de serviços, sendo que o principal elemento é o turismo, uma vez que o estado é um destino internacional de renome e que recebe muitos turistas durante todo o ano.

Voltar para o índice

Turismo

Há muito que ver na cidade. Os pontos que atraem mais turistas são o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar.

Uma imensa estátua do Cristo Redentor encontra-se no topo do morro do Corcovado, de onde se tem uma vista magnífica da cidade. Sobe-se até lá por um trem panorâmico. O Cristo Redentor fica no Parque Nacional da Tijuca, que abriga a floresta da Tijuca — a maior floresta urbana do mundo. Na Tijuca, há vários pontos de interesse, como rios, cachoeiras, lagos, mirantes, trilhas e animais que vivem livremente na mata.

Outro lugar muito visitado é o Pão de Açúcar. Para chegar ao topo do morro, toma-se um teleférico conhecido como bondinho. Do alto, é possível admirar a bela paisagem carioca de um ângulo diferente daquele do Corcovado.

Entre as praias, Copacabana, Ipanema, Leblon e Barra da Tijuca são as mais procuradas. Copacabana e Ipanema são famosas internacionalmente. A cidade também tem muitas atrações culturais, como museus, teatros, cinemas, espetáculos de música, além dos ensaios das escolas de samba. O Maracanã, principal estádio de futebol da cidade, é o maior do Brasil. Foi construído para a Copa do Mundo de 1950, realizada no Brasil.

Como ex-capital do Império e, depois, ex-capital da República, o Rio tem vários prédios históricos em que ocorreram fatos significativos para o país. Passear pelo centro da cidade é uma forma de reviver essa história.

Fonte: Escola Britannica

Voltar para o índice

Educação

O fator "educação" do IDH no município atingiu em 2000 a marca de 0,933 – patamar consideravelmente elevado, em conformidade aos padrões do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) – ao passo que a taxa de analfabetismo indicada pelo último censo demográfico do IBGE foi de 4,4% (superior apenas às das capitais da região Sul).

Tomando-se por base o relatório do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2007, o Rio obteve a terceira melhor colocação dentre as capitais brasileiras. Na classificação geral do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2005, três escolas cariocas ocuparam os primeiros lugares: o Colégio de São Bento, o Colégio Santo Agostinho e o Colégio PH. A Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz, foi a instituição pública de nível médio a alçar a maior nota no quadro nacional, conquistando a quinta posição. Em 2007, oito escolas da cidade figuraram entre as 20 melhores do ranking, sendo os colégios São Bento e Santo Agostinho os respectivos primeiro e segundo colocados. Contudo, e em consonância aos grandes contrastes verificados na metrópole, em regiões periféricas e empobrecidas, o aparato educacional público de nível médio e fundamental é ainda deficitário, dada a escassez relativa de escolas ou recursos. Nesses locais, a violência costuma impor barreiras ao aproveitamento escolar, constituindo-se numa das causas preponderantes à evasão.

A cidade conta com diversas escolas de nível fundamental e médio, sendo as com mais destaque: Privadas - Colégio de São Bento (Fundamental e Médio), Colégio Santo Agostinho (Fundamental e Médio), Colégio Cruzeiro (Fundamental e Médio), Colégio Andrews (Fundamental e Médio), Escola SESC de Ensino Médio (Fundamental e Médio. Oferece um ensino gratuito porém não é administrada pelo governo), Colégio e Curso PH, etc. Públicas - Colégio Pedro II (Fundamental e Médio), Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (Médio), Colégio de Aplicação da UERJ (Fundamental e Médio), Colégio Brigadeiro Newton Braga (Fundamental e Médio), Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Fundamental e Médio), Instituto Federal do Rio de Janeiro (Médio), Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Médio), entre outros.

Contemplado por expressivo número de renomadas instituições de ensino superior e centros de excelência, o Rio de Janeiro é o segundo maior pólo de pesquisa e desenvolvimento do Brasil, responsável por 17% da produção científica nacional – segundo dados de 2005. No cenário atual, destacam-se importantes universidades públicas e privadas, muitas delas consideradas centros de referência em determinadas áreas.

Saiba mais em Wikipédia

Voltar para o índice

Criminalidade

O Rio de Janeiro é um município que apresenta um dos maiores índices de criminalidade do Brasil. No entanto, a partir dos anos 2000, observou-se uma redução significativa nas taxas de crimes letais. Diante desse cenário, o estudo referendado no link abaixo analisa os fatores que determinaram esse fenômeno. Entre eles, avalia os efeitos da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Para tal, foi utilizado o método estatístico vetor de correção de erros (VEC). Por meio do estudo, foi possível analisar as relações a curto e longo prazos existentes entre as taxas de criminalidade com variáveis associadas à atividade econômica e a ação da polícia. O conjunto de dados utilizados compreende o período entre abril 2002 e agosto de 2019. Os principais resultados indicam que a implantação das UPPs contribuiu para a redução dos crimes letais no município do Rio de Janeiro. Ademais, os resultados apontam que a ação coerciva da polícia tende a aumentar as taxas de criminalidade.

Saiba mais em Scielo

Voltar para o índice

Vida noturna

A região dos Arcos da Lapa é a mais famosa pela boemia. Mas Voluntários, Baixo Gávea e Rosas também são pontos bastante agitados. Com o clima e a animação cariocas, a diversão é garantida após o pôr do sol.

A Cidade Maravilhosa não é só maravilhosa por causa de sua bela linha de costa e exuberante área verde, existe muito o que fazer, como bares, quiosques e casas noturnas que garantem a diversão de quem não dispensa uma noitada.

Voltar para o índice

Bairros mais seguros para morar

A segurança pública da cidade é um fator que precisa ser considerado, mas existem algumas regiões adequadas para as famílias que contam com opções de lazer, transporte, comércio e serviços. Logo é preciso ter muita cautela quanto a isso ao escolher um local para morar. São eles:

Voltar para o índice

Dicas de imóveis

Apartamentos para alugar

Apartamentos para alugar por domitórios

Fique dentro do orçamento no aluguel

Apartamentos para alugar nos melhores bairros

Apartamentos à venda

Apartamentos à venda por domitórios

Fique dentro do orçamento na compra

Apartamentos à venda nos melhores bairros

Voltar para o índice

O que fazer no Rio de Janeiro


1.    Praias do Rio de Janeiro

Praias do Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro abriga praias paradisíacas que atraem um público diversificado, dos viajantes que procuram por tranquilidade e sossego, até os que querem ficar perto do agito e da badalação.

2.    Cristo Redentor

Cristo Redentor - Rio de Janeiro

O Cristo Redentor foi eleito pelos moradores da cidade como "A Maravilha do Rio". Do alto de seus 38 metros é a imagem da fé e da simpatia do povo carioca. O monumento em 2001 completou 70 anos, no dia de Nossa Senhora Aparecida.

3.    Pão de açúcar

Pão de Acúcar - Rio de Janeiro

O Monumento Natural dos Morros do Pão de Açúcar e da Urca é um complexo de morros localizado no bairro da Urca. É o maior cartão-postal da cidade do Rio de Janeiro (ao lado da estátua do Cristo Redentor) e um dos mais famosos do Brasil. Entre as atrações da área, além do bondinho, estão a pista Cláudio Coutinho para corrida ou caminhada, a trilha do Morro da Urca com vista para Corcovado, Copacabana, Botafogo e Baía de Guanabara e muitas rotas de escalada.

4.    Escadaria Selarón

Escadaria Selaron - Rio de Janeiro

A Escadaria Selarón, também conhecida como 'Degraus Selarón', é um conjunto de degraus mundialmente famosos. É obra do artista chileno Jorge Selarón que o reivindicou como "minha homenagem ao povo brasileiro".

5.    Lapa

Lapa - Rio de Janeiro

É um tradicional bairro da Zona Central que possui uma grande variedade de bares, restaurantes, boates e pubs temáticos, que atendem a todos os gostos ao longo de suas treze ruas.

6.    Mirante Dona Marta

Mirante Dona Marta - Rio de Janeiro

É uma das vistas mais incríveis da cidade, tendo o título de um dos pontos turísticos mais visitados no Rio de Janeiro. É possível ver o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, o Maracanã, a Baía de Guanabara e a Lagoa Rodrigo de Freitas.

7.    Parque Lage

Parque Lage - Rio de Janeiro

O Parque Lage fazia parte do Engenho Del Rey, um antigo engenho de açúcar da região. Na metade do século XIX um nobre inglês comprou uma parte dessas terras e contratou um paisagista, também inglês, para construir um jardim nos moldes europeus e tornou o lugar uma chácara. Os anos se passaram e essa chácara teve diversos donos até chegar nas mãos de Henrique Lage, que deu nome ao lugar. Em 1957 o Parque Lage se tornou público e foi tombado Patrimônio Cultural, Ambiental e Paisagístico da cidade.

8.    Museu do Amanhã no Rio de Janeiro

Museu do Amanhã - Rio de Janeiro

O prédio, projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, foi erguido ao lado da Praça Mauá, na zona portuária (mais precisamente no Píer Mauá). O antigo píer desativado passou a abrigar uma construção pós-moderna, orgânica e sustentável que, atualmente, é um ícone da identidade local e cultural da cidade do Rio de Janeiro.

9.    Estátua do Drummond

Estátua de Carlos Drummond de Andrade - Rio de Janeiro

Localizada em Copacabana a Estátua do Carlos Drumond de Andrade foi um presente da cidade para comemorar o centenário do poeta. Um dos pontos mais visitados e fotografados na cidade.

10.    Estádio do Maracanã

Estádio do Maracanã - Rio de Janeiro

Estádio Jornalista Mário Filho, o popular Maraca, é um estádio de futebol localizado na Avenida Presidente Castelo Branco. Inaugurado em 1950, foi utilizado na Copa do Mundo de Futebol daquele ano.

11.    Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Jardim Botânico - Rio de Janeiro

Fundado em 1808 por D. João, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro é famoso pela exuberância e importância de suas coleções de plantas, bem como pela beleza de suas paisagens. Sua história bicentenária se expressa em seus monumentos, construções e obras de arte. Os visitantes podem passear a pé ou de carro elétrico pelas aleias e ver plantas de diversos países, conhecer as estufas (Orquídeas, Bromélias, Samambaias e Plantas Insetívoras) e os jardins e coleções temáticos. Entre os monumentos, destacam-se o Centro de Visitantes – uma construção do Século XVI -, as estátuas de Eco e Narciso feitas por Mestre Valentim, e o Portal da Academia de Belas-Artes, projetado por Grandjean de Montigny.

Saiba mais em Riotur

12.    Aquário do Rio de Janeiro

Aquário - Rio de Janeiro

O Aquário do Rio de Janeiro possui várias espécies marinhas, dentre elas cdiferentes tipos de peixes, tubarões e muito mais.

Saiba mais em AquaRio

13.    Mural Etnias

Mural Etnias - Rio de Janeiro

Obra feita na Zona Portuária da cidade do Rio de Janeiro em 2016. O Mural das Etnias, é um dos pontos mais fotografados na cidade.

14.    Parque das Ruínas

Parque das Ruínas - Rio de Janeiro

O Centro Cultural Parque das Ruínas foi a casa da grande mecenas da Belle Époque carioca, Laurinda Santos Lobo. Conhecida como a "marechala da elegância", Laurinda reunia intelectuais e artistas nas magníficas dependências do palacete, que hoje é um dos mais belos projetos premiados do arquiteto Ernani Freire e casa de trabalhos experimentais de artes plásticas.

15.    Real Gabinete Português de Leitura

Real Gabinate Português de Leitura - Rio de Janeiro

O Real Gabinete Português de Leitura possui a maior e mais valiosa biblioteca de obras de autores portugueses fora de Portugal, com um acervo, inteiramente informatizado, da ordem de 350.000 volumes. A biblioteca recebe de Portugal, pelo estatuto do “depósito legal”, um exemplar das obras publicadas no país. Além de Macau, agora sob a soberania da República Popular da China, e que até há pouco tempo também era beneficiada com o "depósito legal", o Real Gabinete é a única instituição, fora do território português, que mantém este privilégio.

Saiba mais em RGPL

16.    Museu de Arte do Rio (MAR)

Museu de Arte - Rio de Janeiro

Inaugurado em 1º de março de 2013, o Museu de Arte do Rio, MAR, promove uma leitura transversal da história da cidade, seu tecido social, sua vida simbólica, conflitos, contradições, desafios e expectativas sociais. Suas exposições unem dimensões históricas e contemporâneas da arte por meio de mostras de longa e curta duração, de âmbito local e nacional. O museu surge também com a missão de inscrever a arte no ensino público, por meio de sua Escola do Olhar.

Saiba mais em MAR

17.    Baía de Guanabara

Baía de Guanabara - Rio de Janeiro

A Baía de Guanabara é um dos cartões-postais cariocas. Foi o palco das competições de vela das Olimpíadas de 2016 e ao mesmo tempo um local de grandes polêmicas devido à sua poluição.

18.    Parque Natural da Catacumba

Parque Natural da Catacumba - Rio de Janeiro

O Parque da Catacumba está em uma área que foi reflorestada na década de 70. Com quase 27 hectares, o parque possui uma grande diversidade de árvores, plantas e flores. Na parte baixa, várias esculturas podem ser admiradas ao ar livre. Caminhos pavimentados e pequenas praças com chão de pedra tornam o lugar perfeito para caminhadas e piqueniques. Já na parte alta, a mata mais densa toma conta do lugar.

Saiba mais em Riotur

19.    Mosteiro de São Bento

Mosteiro de São Bento - Rio de Janeiro

O Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro foi fundado em 1590 por dois monges vindos do Mosteiro da Bahia em 1589, vinte e quatro anos depois de fundada a cidade. Foi a segunda Ordem religiosa a estabelecer casa no Rio de Janeiro, sendo os beneditinos antecedidos apenas pelos jesuítas. Em 1596 já estava o Mosteiro consolidado, em local apropriado, onde ainda se encontra, sendo nessa ocasião erigido em Abadia. Tem como padroeira Nossa Senhora do Monserrate e integra a Congregação Beneditina do Brasil, que compreende hoje sete mosteiros masculinos e dezesseis femininos.

Saiba mais em Mosteiro de São Bento

20.    Forte de Copacabana

Forte de Copacabana - Rio de Janeiro

Localizado no canto esquerdo da praia, na altura do Posto 6, foi construído no início do século XX para proteger a cidade, na época capital do Brasil, e foi palco de importantes acontecimentos históricos, como o Levante dos 18 do Forte, em 1922. Hoje, como espaço cultural, é conhecido como Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana (MHEx/FC). Moradores e turistas conferem exposições, atividades culturais e a famosa fortificação, com direito a comes e bebes nos cafés que o local abriga e uma visão privilegiada de algumas das principais paisagens do Rio.

Voltar para o índice


O que achou das nossas informações e dicas? Faltou algo? Deixe o seu comentário abaixo. :)

Proprietários, Corretores de Imóveis e Imobiliárias

Receba mais contatos divulgando os seus imóveis no melhor portal imobiliário do Rio de Janeiro